domingo, 28 de novembro de 2010

RUA DO AMPARO 215 OLINDA PERNAMBUCO BRASIL

Para quem deseja estar bem no coração da Cidade Alta de Olinda, o Atelier de Arte Amparo 215 Olinda é o local ideal. Construída em casarão antigo, do século XVIII, totalmente reformado, no centro do sítio histórico da Cidade Patrimônio Natural e Cultural da Humanidade, ele oferece um excelente ambiente aos seus vizitantes, com muito conforto, tranqüilidade,  hospitalidade e privacidade. Em torno dela, o verde das árvores, o clima bucólico dos telhados, dos casarios antigos, das torres de igrejas seculares, os ateliês de famosos artistas, restaurantes de categoria, enfim, o melhor do estilo alegre e mágico da cidade e dos seus habitantes.
A arquitetura do Atelier de Arte reflete o clima da cidade, desde a sua entrada, com um antigo, amplo e bem iluminado salão, um dos mais bonitos e maiores de Olinda, com 16 metros de comprimento, largura de 7 metros e altura de 8 metros, decorado com obras de arte do Ateliê do artista plástico Peter M. Bauer e vários artistas da região de Recife e Olinda, onde se pode ver TV e fazer leitura. Logo a seguir, no mesmo pavimento, um enorme terraço de onde se tem uma visão panorâmica das duas cidades, Olinda e Recife, bem propício para um bate papo, em mesinhas confortáveis, cercadas de jardins  com  frondosas árvores e flores tropicais, além do som ambiente que torna o clima bem intimista. No amplo e confortável salão de entrada, pode-se acompanhar com conforto e segurança a passagem de todos os blocos e conjuntos que desfilam no Carnaval de Olinda, pois todos passam pela Rua do Amparo.
O interior do Atelier de Arte é também cheio de surpresas agradáveis com ambientação e decor de muito bom gosto e peculiar. O salão principal é bem funcional, aliando simplicidade, bom gosto e higiene, em estilo típico dos casarões antigos da época colonial, utilizando equipamentos de primeira linha. Ao lado, um outro terraço de estar com outros ângulos de visão panorâmica da Cidade Antiga, seus quintais e telhados, tendo a cidade do Recife com seus grandiosos prédios desenhados numa linha do horizonte que se confunde com a do mar e do antigo cais do porto.

Um dos locais mais atrativos do Atelier de Arte fica no quintal do casarão, com outro terraço para um drinque, piscina, mesas, chuveiro, e todos os serviços para quem deseja tomar banho de sol ou mergulhar nas águas mornas e cristalinas, saboreando drinques e petiscos. A ambientação se apropria com muita criatividade e bom gosto do que a natureza oferece: bananeiras, frutas-pães, bouganvilleas e outras flores, cantoneiras e peças de artesanato. Tudo ecologicamente correto.
A excelência de diversos ambientes, o decor singelo e  funcional,  a privilegiada localização, o clima intimista, a convivência com a ecologia, o barroquismo de sua arquitetura, a funcionalidade dos seus serviços, transformam o Atelier de Arte num pedaço mágico e maravilhoso para quem deseja viver e morar bem em Olinda, usufruindo dentro e fora da casa da melhor hospitalidade do povo brasileiro. Aguardamos sua visita e esperamos que venha desfrutar das maravilhas de Olinda, no Atelier de Arte, bem no coração de uma das mais antigas, históricas e mágicas cidades brasileiras.
Olinda fica próxima aos pontos de interesse turístico 
Aeroporto do Recife (27 kilometros)
Praia de Porto de Galinhas (90 kilometros)
Praia dos Carneiros (120 kilometros)
Praia de Gaibu e de Calhetas (70 kilometros)
Ilha de Itamaracá com Forte Orange (50 kilometros)
Praia de Pau Amarelo (14 kilometros)
Praia de Marinha Farinha (23 kilometros)
Veneza Water Park (15 kilometros)
Centro de Convenções (4 kilometros)
Chevrolet Hall (4 kilometros)
Shopping Center Tacaruna (4 kilometros)
Play Center (3 kilometros)
Capital de Pernambuco (6 kilometros)
Caruaru (150 kilometros)
João Pessoa (120 kilometros)
Natal (300 kilometros).
video
 http://www.alexandre-marinho.vai.la 

ARTESANATO DE PERNAMBUCO
Por Alexandre Marinho (Guia Turístico)
É praticamente impossível para o turista visitar Pernambuco e, na volta para casa, não levar na bagagem pelo menos uma peça mostrando o rico artesanato pernambucano. Vale bordados (para cama, mesa, banho e vestuário), madeira, barro; tudo feito à mão, num trabalho que exige esforço, paciência. Uma tradição que passa de geração para geração. Conheça os pólos do artesanato em Pernambuco.
 
 ÁGUAS BELAS
Esta cidade, a 314 quilômetros do Recife, é famosa pela riqueza de seu artesanato indígena. No local, está a tribo Fulni-ô, uma das maiores do Estado. O acesso é feito pela BR-232 até Garanhuns e pela BR-423 até Águas Belas.
SERTÂNIA
Os oratórios - utilitários domésticos feitos de talhas de madeira - são o forte da produção artesanal de Sertânia, a 316 quilômetros de distância da capital de Pernambuco, no Sertão do Pajeú. O acesso é feito pela BR 110 e BR 232. Os artesãos do local são organizados em associações e cooperativas.
 PETROLINA
É conhecida como a cidade das carrancas. Essas enigmáticas esculturas - compostas apenas de cabeça e pescoço e que misturam feições humanas e animais - eram utilizadas nas embarcações do rio São Francisco, no final do século XIX, para adornar os barcos e afugentar os maus espíritos. Embora as carrancas possam ser encontradas em todas as lojas de artesanato da cidade, alguns escultores são mais notórios - como Ana Leopoldina dos Santos, a Ana das Carrancas, e Gabriel Pereira Filho, o Biu Carranqueiro. Seus trabalhos podem ser encontrados em seus ateliês, na BR 407 s/n, Cohab Massangano (ao lado do pátio da feira) e na Rua Irmã Gerônima, nº 13, Centro, respectivamente. Outra atração do artesanato de Petrolina é o trabalho de Roque Gomes Rocha, o Roque Santeiro. Ele trabalha há mais de 20 anos com madeira, esculpindo em troncos de amburana anjos, santos e mulheres sensuais. Seu ateliê fica na Rua Cícero Pombo nº 435, Centro. Petrolina fica a 769 quilômetros do Recife, Sertão do São Francisco.
 
 PASSIRA
A 100 quilômetros do Recife, a cidade no Agreste Meridional de Pernambuco abriga nada menos que 5 mil bordadeiras, entre seus cerca de 30 mil habitantes. As rendas e os bordados do local tiveram, durante muito tempo, presença garantida nos casamentos da aristocracia recifense. A maioria das casas locais é também lojinha de venda de bordados e rendas com detalhes coloridos. Em novembro, a cidade promove uma grande feira que atrai compradores e admiradores do artesanato de todo o país.
TRACUNHAÉM
A cerâmica artesanal é o forte do município de Tracunhaém, que fica a 72 quilômetros da capital pernambucana, no Agreste do Estado. As peças são feitas com argila, facilmente encontrada às margens do rio que leva o mesmo nome da cidade. Da matéria-prima em estado bruto, surgem esculturas que, em sua maioria, retratam imagens paradoxais: santos católicos e cenas profanas. Também são confeccionados cinzeiros, jarros e utensílios em geral. Praticamente toda a produção é feita no Núcleo de Produção Artesanal. O espaço reúne trabalhos de cerca de 50 artistas locais.
 
 CARUARU
A 130 quilômetros do Recife, o município do Agreste do Estado é considerado pela Unesco um dos maiores centros de arte figurativa das Américas. Em toda a cidade é possível encontrar peças do artesanato local, feito em barro pelos seguidores do Mestre Vitalino, o artesão Vitalino Pereira dos Santos, que esculpia cenas do dia-a-dia do sertão pernambucano. O melhor do artesanato de Caruaru pode ser encontrado no Alto do Moura, bairro onde o Mestre viveu e deixou mais de três mil seguidores. É lá onde fica o Museu Mestre Vitalino, uma casa de taipa onde viveu o artesão. Outra opção é o Museu do Barro e da Cerâmica, na Praça. Cel. José de Vasconcelos 100.
 
 BEZERROS
O universo lúdico dos folguedos de carnaval e dos brinquedos populares são as principais fontes de inspiração para os artesãos de Bezerros, distante 107 quilômetros do Recife, Agreste pernambucano. Lá, são confeccionadas as máscaras em papel machê dos famosos papangus, fantasias tradicionais da folia no município. Uma boa amostra das coloridas fantasias e das máscaras, que também servem como elementos de decoração, podem ser encontradas no Centro Cultural Papangu.
GRAVATÁ
O forte do artesanato de Gravatá, distante 85 quilômetros do Recife, são os brinquedos educativos. Os artesãos locais esculpem carros, mobília para bonecos, cavalos e peões. São peças simples e bem acabadas que funcionam na decoração e divertem as crianças. A produção moveleira também merece destaque. O preço varia de acordo com o tamanho. Os utilitários também aparecem em grande variedade. Nas esculturas, o estilo palito é o que mais tem sido trabalhado na cidade.
 LAGOA DO CARRO
A 61 quilômetros de Recife, na Zona da Mata Norte do Estado, o município é famoso em todo o Brasil por sua produção de tapetes. Inicialmente, os desenhos apenas reproduziam os azulejos portugueses aplicados nas fachadas e construções recifenses. Aos poucos, elementos da cultura nordestina também foram ganhando espaço. A produção de tapetes artesanais é a principal atividade de Lagoa do Carro, a ponto dos novelos de lãs serem utilizados até como moeda corrente. Os tapeceiros se reúnem em cooperativas e associações e distribuem sua produção para todo o Brasil.
  OLINDA
O Mercado Eufrásio Barbosa, que fica bem na entrada da cidade, foi sede da antiga Casa da Alfândega Real, onde eram vendidos os produtos vindos da Europa. Naquela época, os finos tecidos europeus eram pendurados em varas de madeira com pedaços de ouro nas pontas. Daí o nome: varadouro. É comum ver grupos folclóricos e maracatus se apresentando nas tardes de domingo - uma bela demonstração da cultura pernambucana. O mercado fica na Avenida Sigismundo Gonçalves, s/n, Varadouro, Olinda, fone: (81) 3439-2911. Aberto de segunda a sábado, das 9h às 17h30. A cidade patrimônio da humanidade é um caso particular das artes plásticas em Pernambuco. Concentra um grande número de artistas e artesãos que trabalham, na maioria das vezes, ao ar livre, nas estreitas ruas e ladeiras do município. A produção cultural do local vai desde a pintura à confecção dos tradicionais bonecos gigantes, passando pela escultura, estamparias, máscaras de Carnaval e xilogravuras. Os locais mais indicados para um apanhado da produção de artesanato olindense são o Mercado Eufrásio Brabosa, no Varadouro, e o da Ribeira, na Cidade Alta. As lojinhas do Alto da Sé também são boas opções. Olinda fica a 8 quilômetros da capital pernambucana e faz parte da Região Metropolitana do Recife.
 
RECIFE
Cerca de 1.500 peças do artista pernambucano Francisco Brennand ficam em exposição permanente em meio a uma reserva de Mata Atlântica, no bairro da Várzea. As peças mostram a diversidade da expressão do ceramista. No local funciona ainda uma fábrica que produz cerca de 20 mil metros quadrados de cerâmica por mês. A cerâmica Brennand é considerada uma das melhores do estado. A oficina fica no Engenho São João, Várzea, fone: (81) 3271-2466. Aberta de segunda a sexta, das 8h às 17h
A antiga casa de detenção, restaurada em 1975, foi transformada em centro de cultura regional. O museu do frevo, lojas de artesanato, lanchonete e postos de informações turísticas estão instalados nas antigas celas. A Casa da Cultura fica na Rua Floriano Peixoto, s/n, Santo Antônio - fone: (81) 3224-2850. Funciona de segunda a sábado, das 9h às 19h e aos domingos das 10h às 15h. A entrada é gratuita.